sábado, 28 de junho de 2014

Benefícios do Mirtilo


  • Devido à sua riqueza em anti-oxidantes, previnem doenças cardiovasculares, vários tipos de cancro (nomeadamente o cancro do cólon), atenuam processos relacionados com o envelhecimento (como cataratas e doença de Alzheimer) e outras alterações do sistema nervoso (excelente antídoto para a depressão);
  • Alivia sintomas de infecções urinárias e renais, impedindo a fixação e o desenvolvimento da E. Coli, bactéria preferencialmente causadora de infecções no tracto urinário;
  • Apresenta um efeito inibitório na agregação plaquetária inibindo assim a formação de coágulos sanguíneos;
  • Ajudam a combater a memória de curto prazo e reforça a memória dos idosos;
  • Protegem contra a degeneração relacionada com o envelhecimento das vistas, melhorando a visão nocturna e reduzindo a vista cansada devido às concentrações muito elevadas de antocianinas que possuem, sendo excelentes para prevenir cataratas e retinopatias dos diabéticos;
  • Reduz inflamações do aparelho digestivo e regula o trânsito intestinal devido à sua riqueza em fibras e propriedades anti-sépticas, apresentando propriedades laxantes quando consumidos em fresco e auxiliam o tratamento da diarreia quando consumidos em seco;
  • Indicados para dietas para hipertensão arterial, pela ausência de sódio e colesterol.
  • Fortes propriedades anti-inflamatórias pela sua riqueza em antocianinas;
  • Ajudam a baixar o nível do mau colesterol (LDL);
  • Protege a pele dos radicais livres, ajuda a fixar a vitamina A e acelera a cicatrização. (Fonte: aqui)
O MIRTILO está na moda. Há quem o veja como um produto agrícola por excelência, tendo em conta o alto rendimento que a sua exportação acarreta.
Não faltam pessoas que tentam a cultura deste arbusto, até tendo em conta os subsídios ao seu cultivo, dentro de parâmetros que envolvem determinada área de terreno e outras condições.
Há quem fale que, a breve prazo, a demasiada oferta de mirtilo leve à baixa do preço e consequente abandono desta cultura, como sucedeu com outras.


Penso que a falta de orientação dos responsáveis pela agricultura portuguesa tem sido um velho e incorrigível pecado. Os governos tinham obrigação de fazer muito mais, sobretudo no aconselhamento das pessoas no tocante às culturas a explorar.


É claro que há zonas do país onde é fácil, visto serem locais para a cultura de produtos de excelência com mercado garantido. Penso no vinho e no azeite do Alto Douro e do Alentejo. Penso no vinho verde da zona minhota...
E nesta nossa região? Batatas e milho ...está visto que não compensam. Pomares? Vinho? São um risco, tendo em conta o escoamento e o preço pago ao agricultor. Que resta? Que sugerem os responsáveis pela agricultura aos agricultores desta região?


Por estranho que pareça, foi a primeira vez que vi os frutos do mirtilo. E já provei...
Obrigado, prima Teresinha, pela lembrança.

Sem comentários: