sábado, 19 de julho de 2014

O mais importante não se vê

O jantar está na mesa. Os convidados apreciam o aspeto, o paladar...
Mas quem "vê" as mil e uma canseiras, preocupações e habilidades de quem cozinhou?
Árvore. Que pujante! Que frutos deliciosos!
Mas quem "vê" o trabalho continuado, escondido, sujo, das raízes que sustentam a planta contra temporais, lhe dão comida e bebida?
Festa de Santa Helena. Estava muita gente, comprei isto e aquilo, comi e bebi com os amigos, gostei da procissão, trouxe uma recordação, o espaço estava arranjadinho...
Mas quem "vê" o importante? Quantos desabafos, quanta vibração de corações, quanta paz, quanta vontade de lutar... Naquele templo, diante das imagens da Mãe das Dores e de Santa Helena, quantos segredos partilhados com Deus! E tanto amor de Deus a escorrer pelos corações! E a serenidade que se instalou na alma daquelas dezenas de pessoas que se abeiraram do Sacramento da Confissão!
Realmente o homem só olha às aparências, Deus vê o coração.
E o mais importante não se vê...

Sem comentários: