terça-feira, 31 de julho de 2012

De regresso


De 22 a 31 de Julho, estive na praia com uma família amiga que insistiu comigo para uns dias de descanso.
Algumas notas:
- Tanto na ida como na vinda, verifiquei pouco movimento nas estradas. Pouco demais para a época.Tirando as estradas do Algarve e, no regresso a IP3, nem parecia que estávamos em pleno Verão...
- Esperava encontrar mais gente no Algarve, tendo em conta experiências anteriores. Vi muitos restaurantes "às moscas" e muitas casas para alugar. Aliás encontrei pessoas que por lá costumam passar férias e que este ano pagaram menos pelo aluguer da casa.
Tirando as zonas dos bares com aquele barulho todo, frequentados maioritariamente por gente nova, poucas pessoas se viam nos outros estabelecimentos.
- O tempo não ajudou por aí além. Água fria demais para o local e para a época, tardes ventosas e noites algo frias.
- Não observei, nos meus longos passeios à beira mar, a alegria e o encantamento familiar de outros anos. As pessoas pareciam mais soturnas, menos dadas a brincadeira e algo irritadiças.
- Pelo que observei, também o comércio estava bastante parado, tirando, logicamente, a venda de produtos essenciais.
- Observei uma cena que me chocou. Em plena noite, um rapaz a esquadrinhar no lixo algo para comer. Chocante . Portugal não pode ir por aqui!


Uma palavra de gratidão profunda e sentida para com a família Ribeiro. Pela insistência, pela familiaridade, pela gratuitidade e pelo acolhimento despretensioso.
Muito obrigado!

Sem comentários: