sexta-feira, 10 de março de 2017

Um péssimo serviço à academia


Em 6 de março,  a Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa cancelou uma palestra cujo principal orador era Jaime Nogueira Pinto. Versaria sobre populismo, Trump e Le Pen. Não sei sobre o que falaria mais, e com esta atitude pidesca dificilmente saberemos, mas isso também não é relevante. O que merece relevo, e muita preocupação, é a atitude persecutória de um conjunto de alunos, que ameaçou praticar actos de violência caso a Faculdade não cancelasse o evento — que lamentavelmente cancelou. A Universidade é a plataforma por excelência do pluralismo e da discussão com enlevo. Quando os debates não são travados e trovados no contexto digno de uma academia, prontamente extravasam para as ruas sob formas violentas, e são catalisados pelos tais populistas que importa combater. A Faculdade de Ciências Sociais e Humanas prestou um péssimo serviço à Universidade Nova e à academia, demonstrando que as ameaças e os diktats de meia dúzia de palermas, que agem sob o pretexto de «combater posições colonialistas e xenófobas» e se comportam que nem fascistas, os tais que querem combater, resultam. Este tipo de comportamento intimidatório é típico de, lá está, regimes ditatoriais.
MARIO AMORIM LOPES , aqui

Sem comentários: