sábado, 4 de março de 2017

Quaresma: JESUS É COMPANHIA NA CRUZ DO DIA A DIA

´~
SÍMBOLOS QUARESMAIS
1. A areia - significa os 40 anos que o povo da Antiga Aliança passou no deserto, após a libertação da terra da escravidão do Egipto até à chegada à terra prometida. Significa igualmente os 40 dias que Jesus passou no deserto, em oração e penitência, antes de iniciar a sua vida pública.
O deserto, terra sequiosa, árida e sem água, significa a nossa vida, cheia de provações, dificuldades e desafios.
2. As sandálias - Somos um povo que caminha. Mesmo nos desertos da vida,  caminhar é preciso, rumo à libertação pascal. Para caminhar, precisamos de deitar fora a carga que nos oprime: egoísmos, rancores, pecados, vícios, ódios, preconceitos...
3. Grilhões - Tudo o que nos prende e não nos deixa ser livres. "Para os idólatras do dinheiro, possuídos pela ganância, não há espaço no coração para Deus. Para os cultivadores da vaidade, apenas centrados em si próprios, não há lugar para mais ninguém. Para os obcecados pela soberba, dominados pela cegueira do orgulho, não há tempo para atender, acolher, escutar e cuidar dos frágeis e dos pobres." (D. António Francisco dos Santos) 
O Jejum e a abstinência têm este sentido libertador. Quem manda em cada um não são os apetites, sensações e paixões, mas cada um de nós. O jejum e a abstinência ajudam-nos a sermos mais livres e senhores.
4. Cristo - Nos caminhos da vida, não vamos sozinhos, porque Cristo vai connosco. A sua Palavra é luz dos nossos passos, a sua Graça é fortaleza na nossa fraqueza, a sua presença é abraço nas nossas solidões, o seu perdão é liberdade nas nossas escravidões, o seu silêncio é voz que nos questiona. Ele é verdade para proclamar, é caminho para seguir, é vida para encher de vida as nossas escuridões.
5. A cruz - "Cristo é companhia na cruz do dia-a-dia". Ninguém caminha sozinho. Cristo está com cada um. Cada um tem um amigo a seu lado, pois Cristo vai com cada um. Ele o diz: "Estarei convosco até à consumação dos séculos". Quando a cruz dos nossos pecados, vícios, dependências, materialismos, egocentrismos, limitações, enfermidades, solidões, ingratidões ... pesa, Ele está aí para levar a parte mais pesada da cruz. Que Ele possa entrar na nossa vida! Que queiramos que ele entre!
6. Os arbustos - O verde da esperança, a sombra do nosso cansaço, o descanso para a caminhada, a promessa  do Deus fiel. Que tal procurarmos ser arbustos uns dos outros na caminhada da vida? Simão de Sirene ajudou a levara a cruz de Jesus... O mundo precisa de pessoas como Simão que ajudem a levar a cruz de cada irmão.
Precisamos de parar para orar, meditar, acolher Aquele que não se impõe mas se propõe. "Deixa Deus entrar na tua própria vida...". Sem oração, que valemos nós? Só Deus tem o segredo das coisas, por isso penetremos no segredo de Deus, orando.
7. A bilha de água - Sede de santidade, sede de justiça, sede de humanidade, sede de paz, sede de amor, sede de perdão, sede de infinito, sede de superação, sede de amizade, sede de perfeição, sede de superação, sede de um mundo melhor, sede de esperança, sede de Deus, sede de compreensão, sede de tolerância, sede de valores... E Cristo lá está a dizer a todos e a cada um "Eu sou a água viva"! Tanta sede, com o poço aqui tão perto!...
8. O "altarzinho da renúncia - No altar da Eucaristia, Cristo oferece-se por nós ao Pai; no "altarzinho da caixa da renúncia", nós oferecemo-nos aos irmãos por amor a Cristo que nos diz: " o que fizerdes a um dos meus irmãos, é a Mim que o fazeis", porque "tive fome e destes-me de comer..."
A renúncia quaresmal é um belo gesto de amor, não é uma esmola, é amor partilhado e sentido. Ao renunciarmos a coisas a que tínhamos direito ( cigarro, bebida, comida, vestuário, etc), para apoiar os milhões de irmãos em carência extrema, estamos a dar um pouco de nós mesmos. Amor não é dar coisas supérfluas, é darmo-nos a nós mesmos!
9. Toalha branca - Significa a festa da Ressurreição. A Quaresma dirige-se à Páscoa da Ressurreição. A cruz não é o fim, é caminho para a vitória, o triunfo, a ressurreição. Isto na vida de Cristo. Isto na nossa vida.
Que pela penitência quaresmal, pelo jejum e abstinência, pela oração e meditação da Palavra de Deus, pela renúncia que realiza o amor ao próximo, cheguemos mais livres e senhores à Páscoa da Ressurreição, mais parecidos com Cristo.

Sem comentários: