sábado, 15 de agosto de 2015

Há 36 anos

15 de agosto de 1989. Sé de Lamego, 11 horas. O Avelino, o José Manuel e eu fomos ordenados sacerdotes por D. António de Castro Xavier Monteiro, então Arcebispo-Bispo de Lamego.
Faz hoje 36 anos. Destes, 24 como pároco da Paróquia de São Pedro de Tarouca.
Perpassam hoje por mim os sentimentos, emoções, sonhos, generosidade, entusiasmo dessa primeira hora.

A vida foi retirando forças, sem esmorecer o entusiasmo.
A vida é sonho, porque tenho saudades do futuro.
A vida é generosidade, porque esta vence sempre as cicatrizes e os calos que a realidade vai semeando.
Emociono-me ainda perante o olhar de uma criança, a lição de vida e de fé que recebo de um doente, a felicidade dos nubentes, a generosidade dos jovens, a sabedoria dos anciãos, a a vivência da fé por parte da comunidade.
E sobretudo Cristo. Cada vez mais convencido que só ELE vale totalmente a pena.

Preocupa-me a construção do Centro Paroquial que não me larga de  noite e de dia...
Preocupam-me tantos casais que vivem como se Deus não existisse...É que a fé nasce e cresce ao colo da mãe com o exemplo do pai.
Preocupam-me tantas crianças e jovens para quem Deus não conta...
Preocupa-me a solidão de tantos velhinhos e doentes...
Preocupam-me os divórcios e os filhos como grandes vítimas da situação...
Preocupa-me a falta de emprego que leva tantos jovens para fora sem perspectivas de voltarem...
Preocupa-me uma Igreja que, em vez de ser uma comunidade viva, dinâmica, com garra apostólica, se fica no ritualismo, no clericalismo, no tradicionalismo...
Preocupa-me a situação de tanta gente situação difícil, porque não tem trabalho, ou não quer trabalhar, ou usufrui ordenados baixos...
Preocupam-me as notícias diárias: guerras, perseguições, mortes, refugiados, fome, miséria,  pouco respeito pela vida, desvalorização da dignidade da pessoa humana, corrupção, violência doméstica, fundamentalismos, falsidade nas relações entre as pessoas...

Mas quero que Cristo morto e ressuscitado seja o esteio da minha vida, a garantia  que a esperança não engana, a certeza de que o mal não terá a última palavra.

Senhor meu e meu Deus, que a tua providência me envolva, a tua misericórdia desça abundante sobre mim, a tua luz derreta a escuridão do pecado e dos limites.


Senhor que o teu amor se derrame abundante e generosamente sobre esta comunidade, os meus familiares, amigos e sobre aqueles que não gostam tanto de mim..

Sem comentários: