terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

Gato por lebre

Eis a notícias conforme o Correio da Manhã a apresenta:
Calendário com padres atraentes é sucesso no Vaticano
Anuário com 12 sacerdotes transformados em modelos improvisados está a ser mais vendido do que os calendários com mulheres despidas.
Não é preciso ir à Igreja para ver os 12 padres mais atraentes do Vaticano. Basta comprar o ‘Calendário Romano’, onde sacerdotes bem-parecidos – um para cada mês do ano – posam de batina para a objetiva do fotógrafo Piero Pazzi. A ideia tem sido um sucesso de vendas no Vaticano, segundo o jornal espanhol 'El Mundo'. O almanaque tornou-se num objeto de culto para os gays que visitam a capital italiana. Tem sido mais vendido do que os calendários onde as mulheres despidas são as protagonistas.
A nova edição do "Calendário Romano" já está à venda, por 10 euros, e pode ser encontrada tanto em quiosques como em tendas de "souvenirs" de Roma, junto a reproduções do Coliseu e fotografias do papa Francisco. O criador do almanaque assegura que se tratam de sacerdotes de verdade, e não de modelos disfarçados de eclesiásticos.
O Vaticano garante que nada tem a ver com o calendário – revelando até desagrado ao ver alguns dos sacerdotes convertidos em improvisados manequins. Criado em 2004 pelo fotógrafo Piero Pazzi, o ‘calendário romano’ vende cerca de 75 mil cópias por ano.
O almanaque – que pode ser adquirido através da Internet –  é constituído por fotografias de padres que Pazzi encontrou nas ruas da sede da Igreja Católica. Depois de em 2008 se ter descoberto que o sacerdote que ilustrava o mês de março não passava de um cidadão comum, o fotógrafo veio garantir que só fotografou verdadeiros padres para o calendário de 2014.


1. Uma coisa é Roma, outra é o Vaticano. O Vaticano é um pequeno Estado dentro de Roma. A cidade de Roma é muito, muito mais do que o Vaticano.
2. Afirma o texto que o referido calendário  "pode ser encontrada tanto em quiosques como em tendas de "souvenirs" de Roma", depois de acrescentar que " ideia tem sido um sucesso de vendas no Vaticano" e que "o Vaticano garante que nada tem a ver com o calendário – revelando até desagrado ao ver alguns dos sacerdotes convertidos em improvisados manequins".
Sendo assim, o referido calendário será vendido em Roma, mas  fora do Vaticano.
3. Então garante-se que todos os modelos são eclesiásticos e em 2008 encontrou-se um que não passa de um cidadão comum? Quem garante a seriedade do calendário?
Esta "notícia" enrolada, inquinada, pretende o quê? "Com papas e bolos se enganam os tolos"...
4. A ser verdadeira a presença voluntária de eclesiásticos no referido calendário, não lhes louvo a ação. Não é entrando nas garras do Marketing do dinheiro a todo o custo que se propõe Jesus Cristo aos homens de hoje.
5. O oportunismo materialista não conhece limites. Vale tudo para que o dinheiro chova! O homem fica reduzido a um robô do vil metal.




Sem comentários: