domingo, 14 de janeiro de 2018

Queiramos ou não, a política e os políticos mexem com a nossa vida


Quando se fala de política e de políticos, há muita gente que põe cara de enjoada  e mostra-se enfastiada com o assunto, destilando o chavão: "Eles são todos iguais, o que querem é tacho."
Queiramos ou não,  a política e os políticos têm um papel fundamental no nosso viver coletivo e na vida de cada um.
Os que se afastam da política deixam  que muito da sua vida seja decidido pelos que participam. É muito fácil ficar no sofá ou na mesa do café a carregar nos políticos e políticas.  Mas isto leva a alguma coisa? Nada. Então o importante é a participação cívica através dos vários meios que, felizmente, a democracia põe à disposição dos cidadãos.
Foi ontem eleito o novo líder do PSD. O Dr. Rui Rio,  ex-autarca do Porto, foi eleito com 54% dos votos dos militantes do seu partido. A oposição tem assim um rosto novo. O atual governo, apoiado parlamentarmente pelos partidos de esquerda - a chamada "geringonça" - tem que lidar agora com um novo líder da oposição. Em democracia tão importante é quem governa como quem está na oposição.
O novo presidente do PSD prometeu "uma oposição firme e atenta, mas nunca demagógica ou populista".
Sabendo que há assuntos nacionais que requerem uma maioria qualificada e que esta precisa de contar com o PSD, concluímos como esta eleição partidária pode ser - ou não - importante para o futuro do país.
Além disso, quanto mais forte e decidida for a oposição, mais obrigado está o governo a 'dar corda aos sapatos', o que bem preciso é.

Sem comentários:

Enviar um comentário