quinta-feira, 24 de maio de 2018

Solidariedade total

Não conheço os pormenores. Só sei o que a comunicação divulgou.
Mas uma coisa sei. A violência faz perder toda a razão a quem a ela recorre.
Sei que a pessoa que foi vítima de violência é um cidadão, um sacerdote, um líder, um pároco de valor mais do que confirmado.
Como ser humano, tem, como qualquer outro, os seus limites. Perfeito só Deus!
Para o  colega e amigo, a minha total solidariedade, a minha prece, a minha amizade.
Nada, nada, nadinha justifica a violência que se abateu sobre ele. Foi um ato miserável e detestável!
Esperamos agora que:
- A diocese haja como deve agir. Com coragem, determinação e caridade.
- Que aquela comunidade paroquial saiba aparecer e estar. A caridade e a solidariedade são ativas, dinâmicas, presentes, reparadoras.
- Que a justiça atue, rápida para ser justa.
- Que a vítima se sinta reconfortada pela sua fé e pela presença efetiva dos seus amigos.
- Que quem cometeu tal ato caia em si, se arrependa, manifesta publicamente o seu arrependimento e caminhe na vida pelo reto caminho.
- Que as comunidades estejam atentas e vigilantes para que ações destas nunca aconteçam.
Lembramos a Palavra de Jesus:
"Sede, pois, prudentes como as serpentes e simples como as pombas. "
(Mt, 10, 16)

Sem comentários:

Enviar um comentário